Romeira, 2011

Romeira, Alentejo tinto 2011, 13,5% de álcool, Trincadeira (40%), Aragonez (40%), Alicante Bouschet (20%).

romeira

Pedi este vinho num restaurante aqui da zona, onde já comi e bebi muito bem. O restaurante foi uma tasca, 50 metros mais para o interior, e agora está numa zona aberta ao braço de mar que dá para o Seixal. Mudou de gerência há 4 anos, mas desde 2008, pouco depois da deslocalização, e da crise do subprime, deixou de ter vinhos fantásticos, como o 157 castas do Domingos Soares Franco / José Maria da Fonseca.

O Romeira é um vinho que eu aprecio desde há bastante tempo e, como não havia muita escolha, pedi para abrirem esta garrafa. No entanto, fiquei com a ideia de que não cuidavam muito dos vinhos deixados pelo antigo gerente, e que este vinho tinha ficado no escaparate, a apanhar sol, desde 2011.

A rolha estava um bocado embebida de cor tinta, e o vinho tinha um travo a velho ou a rolha. No entanto, para um vinho com cnco anos e maltratado, como aparentava, ainda tinha um sabor a néctar, para lá disso tudo. Levei o resto para casa e, algumas horas depois, o sabor a velho já se tinha desvanecido, em parte, e notava-se algum corpo, densidade, e aromas secos, como esteva, eucalipto e ameixa. Uma experiÊncia diferente, e um risco, quando lidamos com personagens que não sabem cuidar do património.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *