Verborreia

Vocemecês devem estar a pensar: que verborreia deu neste gajo para escrever tanta coisa quando esteve calado durante tanto tempo.

A culpa é da casta Baga do Luís Pato, vinhas velhas. Dêem-me um copo de vinho se querem ouvir as verdades: in vino veritas.

Foi exactamente o Luís Pato que me fez perder a cabeça com vinho. A primeira garrafa de mais de 25 euros que comprei era um Luís Pato, de vinhas com mais de 100 anos. Depois disso, não parei mais. Mas nesta incursão pelos vinhos de qualidade, descobri que os melhores nem sempre são os mais caros. Já bebi muita merda que me custou mais de 100 euros por garrafa. E o eleito continua a ser o Quatro Castas da Herdade do Esporão, que custa apenas 13 euros.

Conheço um enólogo que diz que quem gosta de vinho do Alentejo, não sabe o que é vinho: PALHAÇO.

Não sou regionalista nos vinhos, gosto de vinhos do Douro, de Foz Côa, do Dão, das Beiras , do Alentejo e do Algarve, e até já bebi umas merdas francesas razoáveis. Mas neste momento, para além de um Pêra Manca muito especial, o eleito é o Quatro Castas alentejano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *